terça-feira, 28 de outubro de 2008

Quando tudo começou

Como não podia deixar de ser vou começar pelo princípio, La Palice não diria melhor, que é como quem diz pela constituição da Secção de Cicloturismo do Sporting Clube das Caldas no já longínquo ano de 1979. Não quer dizer que tenha sido a partir daqui que a rapaziada começou a andar de bicicleta, quer dizer que muita gente anonimamente já dava as suas pedaladas onde se incluía o Mário Lino que de facto dinamizou o cicloturismo nas Caldas da Rainha na década de 70 do século passado. Anteriormente a ele, o senhor António Castanheira já falecido, que possuía uma loja de bicicletas, foi talvez o percursor de toda esta dinâmica que se criou e que trouxe muita gente para o cicloturismo, tendo eu também começado nessa altura a dar as primeiras pedaladas, quando já tinha 27 anos. Comprei um quadro ao Álvaro que tinha trocado de bicicleta, os acessórios em Lisboa, já não me lembro bem onde, talvez na Alltis à Praça de Espanha ou no Aristides Martins, tendo depois a bicicleta sido montada pelo Albano da Ota, um ex-ciclista infelizmente já falecido. Para a época já não era nada má, o quadro era de aluminio, talvez um pouco pesado, e todos os componentes da bicicleta eram Gipieme. Este quadro durou ainda uns anos, mas entretanto partiu-se e comprei um outro no Montico no Cadaval.
Esta primeira imagem foi retirada de um suplemento da Gazeta das Caldas, chamado precisamente “O Cicloturista” datado de 1981 e onde se faz a cronologia a partir da formação da secção de cicloturismo do Sporting Clube das Caldas.
Enviar um comentário